CDL ACIBOM / Notícias

Como gerir sua marca em tempos de crise?

Por Nara Tavares Dia em Notícias

 

Medidas de higiene e segurança, reposição de produtos em horários alternativos e a mudança de comportamento do consumidor, foram algumas das questões que o Covid-19 trouxe para o cenário do consumo. Outros tantos hábitos tendem a se transformar também, como o consumismo exagerado, a forma como escolhemos onde morar e até em como nos relacionamos com quem está próximo a nós, seja a família, os colegas de trabalho, os vizinhos e até mesmo o comércio de bairro.


Novos dados surgem na mesma assustadora velocidade de propagação do vírus. De acordo com uma pesquisa da NZN Intelligence, 71% das pessoas entrevistadas apontam que pretendem aumentar o volume de compras online a partir de agora. Empresas especializadas em pesquisa de mercado mostram a mudança no carrinho de aquisições dos indivíduos: já fomos da busca desenfreada pelo álcool em gel, desinfetantes e papel higiênico, ao estoque de comida, à procura por jogos, entretenimento e educação e até mesmo produtos como máquinas de cortar o cabelo para fazer as vezes dos salões fechados.

Nunca a ação de influenciadores e a relação com as marcas e seus propósitos foi tão vigiada, a exemplo do case recente envolvendo a influenciadora digital Gabriela Pugliesi, o furo à quarentena e os contratos cancelados pela pressão social.

Aos poucos as autoridades locais começam a falar e expor suas ideias e seus planos para retomarmos a rotina livres em sociedade e um novo normal criado por essa situação sem precedentes terá que ser vivenciado e considerado pelas marcas.

Diante disso, como se manter em evidência? Como chamar a atenção do consumidor nessa nova cena? Falamos com Stenio Souza, CEO da Smollan iTrade, empresa de soluções para o varejo, e presidente do comitê de trade marketing da Associação de Marketing Promocional (AMPRO), para indicar alguns caminhos para o varejista que já são visíveis a olho nu.

“Se levaríamos décadas para passar e aprender tudo o que se passou em, no máximo, dois meses, agora vamos precisar aprender a atuar com o que chamávamos de tendência no hoje”, explica Stenio, para quem o cenário abre perigos e oportunidades no âmbito do marketing e do consumo. “O que determinar um outro será a capacidade de agir e demonstrar ações diante das adversidades”, diz.

O especialista listou para nossos leitores as três condições essenciais para que os empreendedores sigam em frente em seus negócios quando o comércio voltar à normalidade. Confira a seguir:

 Invista no digital e reformule o canal offline

Com as medidas de isolamento social, a maioria dos comércios físicos foi obrigada a fechar as portas e, com isso, grande parte da população começou a aderir ainda mais (ou pela primeira vez) às compras pelo e-commerce. E não foi só. Outros serviços que até então eram tidos apenas como presenciais, como uma consulta médica, passaram a acontecer por meio da tela.

É possível que, depois que essa situação amenizar, os consumidores encarem como uma pressão desnecessária ter que voltar e adotar hábitos antigos e que promovem a aglomeração. “Da mesma forma que os eventos estão se reinventando é preciso pensar em formatos online para qualquer que seja o entregável do seu negócio”, pontua Souza.

Entretanto, na visão do especialista, por conta da privação prolongada de convívio cara a cara no mesmo espaço, continuará a haver demanda para as interações pessoais com as marcas. Por isso, é recomendável começar a desenhar estratégias, especialmente para os locais fechados, que passem ao cliente a sensação de segurança. Possíveis caminhos são a digitalização do atendimento e a facilitação de pontos de atrito como filas.

Mostre o que a sua marca está fazendo para ajudar o mundo

Uma pesquisa recente da Kantar mostrou que mais de 80% das pessoas concordam que as marcas precisam comunicar seus esforços para enfrentar a situação da pandemia e sobre como podem ser úteis nesse novo dia-a-dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas. Além disso, a população espera diferentes posicionamentos delas em relação ao coronavírus.

Quando questionados, 25% dos entrevistados afirmaram que os anunciantes devem servir de exemplo e guiar a mudança de comportamento das pessoas em torno da prevenção; outros 21% falam que a marca precisa ser prática e realista e ajudar os consumidores no dia-a-dia; 20% gostariam que elas dessem força no sentido de mostrar que a crise pode ser derrotada; 18% pede para que elas usem seu conteúdo para explicar e informar; 11% conta com elas para reduzir a ansiedade ao focar sua comunicação nas necessidades dos consumidores e, por último, 3% espera uma comunicação não convencional e otimista.

“É preciso reinventar não apenas a forma de trabalho para estar disponível para os clientes em um formato remoto, mas também ajustar o discurso, a linguagem, os conteúdos”, Explica Stenio.

Trabalhe com campanhas de incentivo aos promotores que estão no campo

Tudo mudou tão rápido e de maneira compulsória que existe uma tendência de que as pessoas optem por conseguir manter o mínimo de normalidade ao qual estavam acostumadas. E isso inclui coisas corriqueiras como não mudar a marca daquilo que consome por remeter à sensação de conforto diante do caos. Então, para lidar com isso, é preciso criar muito mais estímulos para conquistar uma base maior de consumidores.

Nesse sentido, os promotores de vendas se tornam ainda mais estratégicos – seja para repor os itens na linha de frente do consumo ou ainda para expandir a visibilidade dos produtos. Stenio Souza sugere, então, repensar os programas de incentivo, ferramenta bastante usada para fazer o ecossistema de vendas girar, mas que, em geral, não privilegia esse profissional de campo.

Com muitas marcas reduzindo suas equipes é um ótimo momento para fazer diferente e maximizar a eficiência da função. “Aproveitando que alguns concorrentes não estão fazendo esse investimento nos espaços físicos, há uma maior abertura para pontos extras e para os promotores conquistarem mais espaços ou ponta de gôndola, por exemplo”, diz Souza.


Fonte: https://site.cndl.org.br/

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Adiamento de Registros entenda como funcionará a negativação durante os próximos três meses

Por Maicon Douglas Carvalho Dia em Notícias

Em um momento de incertezas e instabilidades como o que estamos vivendo, pensar em alternativas para reduzir as consequências financeiras provocadas pela pandemia do coronavírus é essencial e pode fazer toda a diferença para a sociedade.

Assim, com o objetivo de dar mais tempo para que consumidores e empresas possam buscar a renegociação ou o adiamento do vencimento de seus débitos junto aos credores, a exibição do registro das dívidas em todos os bureaux de crédito passará, temporariamente, para 45 dias corridos a partir da data da postagem da notificação.

A decisão é válida por três meses a partir do dia 17 de abril de 2020, período em que poderemos fortalecer ainda mais nossos elos de confiança para continuarmos a vender com mais segurança.

Esta medida foi tomada pelo SPC Brasil, junto aos demais bureaux de crédito associados à ANBC (Associação Nacional do Bureaux de Crédito) para reduzir os danos causados pela crise instaurada na sociedade e também como forma de diminuir os impactos de diversos projetos de lei que poderiam afetar consistentemente o mercado de crédito.

Com forte atuação da CNDL e do RIG (Relações Institucionais e Governamentais), conseguimos amenizar os impactos dos diversos projetos de leis que buscavam impedir os registros nos bureaux de crédito durante o período de calamidade pública, chegando ao texto do Projeto de Lei n. 675/202, que suspende a negativação por 90 dias a partir do dia 20/03, data do decreto que determinou a calamidade pública até 31/12 no país. O texto seguirá para aprovação do Senado Federal, mas estamos acompanhando muito de perto junto à CNDL e, qualquer novidade, informaremos prontamente a nossas Entidades.

Reforçamos que este PL não contempla o Cadastro Positivo, o que se mostra muito benéfico para o mercado nesse momento em que precisamos da força do crédito para a retomada da economia.

Fonte: https://spclink.spcbrasibrl.org

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

CDL Acibom acompanha de perto ação do Município em prol do retorno às atividades do comércio

Por Nara Tavares Dia em Notícias

Em reunião realizada pela Comissão Gestora de Ações Fiscais, Econômicas e Financeiras para as crises provocadas pelo Covid, os membros desta deram início ao debate apresentando ideias de planejamento para retorno às atividades, lembrando que a decisão final cabe ao Comitê Municipal de Enfrentamento e Monitoramento do COVID19.


Em razão da previsão de pico ocorrer no período de 07 a 12 de abril, aguarda- se os resultados para tomadas de novas e oportunas decisões.


Outro fato relevante para a manutenção da suspensão das atividades com vendas apenas online, é o decreto estadual em vigor, cabendo aos municípios definições a partir deste, e decisões mais “brandas” que as lá previstas tem impulsionado o judiciário a acionar municípios determinando o fechamento sob pena de multa, fato que ocorreu em Nova Serrana e outros municípios.


As análises são feitas diariamente, e a Acibom está acompanhando tudo isso o tempo todo, sendo inclusive membro do conselho representada por seu presidente.


Estamos juntos e firmes buscando as melhores e mais sábias decisões. Devagar vamos voltando aos poucos, e brevemente todos estaremos trabalhando com muita garra e dedicação.

Nossa força será a nossa união, a informação e a Ação para a mudança que precisamos. Seguimos juntos!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Veja como ficará o funcionamento da CDL Acibom nos próximos dias de quarentena

Por Maicon Douglas Carvalho Dia em Notícias

A CDL Acibom, somando formas com os órgãos oficiais e seguindo as determinações para conter o avanço do novo coronavírus, comunica que a partir de hoje, 23 de março, está com parte de sua equipe em sistema de teletrabalho/home office e outra parte da equipe em férias coletivas.

Os atendimentos serão realizados pelos seguintes telefones e emails abaixo:

Gerência/Jurídico/ Aprendiz: Viviane Mesquita (37)9 8846-2223 email: acibom@cdlacibom.com.br 
Atendimento ao Associado: Amanda Andrade (37)9 8851-0118 email: credito@cdlacibom.com.br 
Unimed: Marcos Túlio (37)9 8411-5512 email: unimed@cdlacibom.com.br 
Financeiro: Priscila Oliveira (37)9 8851-2517 email: financeiro@cdlacibom.com.br 
Relacionamento/Comunicação: Nara Tavares (37)9 8851-0121 email: marketing@cdlacibom.com.br

Contamos com a sua compreensão e ressaltamos a nossa responsabilidade em manter nossos colaboradores em segurança, cumprindo as diretrizes do Ministério da Saúde.

 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Cadastre-se e descubra todas as vantagens de ser um dos nossos associados!

Nós também odiamos spam!